Friday, February 24, 2006

Mongol


Este é um alfabeto muito interessante. Foi encomendado por Kublai Khan e deveria ser a forma de escrita a ser usada da Mongólia a Áustria. Se diz que os inventores, aqueles que colocaram a mão na massa foram três monges tibetanos chamados Sa Skya, Phags-Pa e Tsordji-Osir que trabalharam nas letras adaptadas do alfabeto Uigur. O alfabeto teve três momentos entre 1247 e 1317. O alfabeto tradicional mongol se esreve verticalmente como o japonês e o chinês. Mas ao contrário dessas duas escritas, o mongol se da direita para a esquerda.
Na foto que tirei do site www.qingis.com se vê os equivalentes dos sons mongóis em alfabeto cirílico e latino. Durante a dominação comunista, o Mongol foi escrito com o alfabeto russo - ou cirílico este, também, uma criação de monges, desta vez cristãos. Um deles foi São Cirilo. Curta o alfabeto. Também demorei muito para vê-lo. Sobre sistemas de escrita veja o site do OMNIGLOT, muito bom e o link está ao lado. Veja também mais sobre este e outros alfabetos no site http://www.jaars.org/museum/alphabet/galleries/mongolian.htm . Este site é do Museu do Alfabeto ligado ao SIL - Summer Institute of Linguistics.

Coreano


A geração atual tem sorte. A foto (gif) que mostro aqui é do alfabeto coreano. Isso é tudo o que você necessita saber para ler a língua da Coréia. É um alfabeto muito inteligente. Infelizmente não encontrei material em português sobre o coreano na internet. Desde criança acho este alfabeto mui charmoso. Sonhei em aprendê-lo desde os 15 anos.

Só consegui desnudá-lo aos 22, isso depois de haver migrado de Maceió para São Paulo e passado uns seis meses na Congregação Cambuci das Testemunhas de Jeová. Foi nessa "igreja" que aprendi o alfabeto. Não a lingua. O link onde aparece as palavras Korean, Russian e Greek lhe levará a uma página - em inglês - muito boa, com dicas, ilustrações e até som. Muito bom. Outra vezz, louvo a internet e confesso que me sinto feliz de ter conhecido a era da www. Posso bater as botas em paz! Este site-blog é mais para isso para dar dicas.

Tuesday, February 21, 2006

As linguas e eu

Criei este blog aqui para falar sobre idiomas, linguas, dialetos etc. Sou jornalista profissional, tradutor, intérprete, escritor. Sempre gostei de linguas - esta maravilhosa riqueza da humanidade. Aqui quero dar links para sites que ensinam idiomas tais como coreano, japonês, chinês, árabe e outras linguas que vão além das quatro ou cinco que ensinamos no Brasil.

Nunca fui a escola de línguas. Aprendi pelos livros ou seja o que algumas pessoas chamam de aprender sozinho. Nesta lista estão o inglês, o espanhol, o japonês. Isso não quer dizer que tenha aprendido o japonês, por exemplo. Ou o alemão, o francês, italiano, grego, catalão e muitas outras. O que quero dizer é que tentei, não me são estranhas. Hoje com a internet o mundo está nas pontas dos dedos - sendo mais específico na ponta do dedo indicador que é o dedo "clicador".

Estudo linguas em todos os níveis incluindo os usos e abusos do discurso, ideologia, manipulação da língua. Em lingüística não sou conservador. Não considero que o mundo tenha 6 mil linguas, ou idiomas como quer o Ethnologue. Pertenço à escola da "linguaesfera" - que é o primeiro LINK que dou, na coluna do lado, que vê o mundo com muito mais linguas, dialetos, idioletos - seguido pelo link do Ethnologue.

Como ecologista - que estudo ainda o que chamo de "a lingua da Natureza" - tenho tendência a ser um admirador da diversidade. A diversidade lingüística é para mim parte vital da biodiversidade. A extinção de idiomas é uma perda enorme e as linguas estão sumindo. Assim, por aqui fico. Logo, postarei mais alguma informação sobre o que estou fazendo.

Dia Internacional da Lingua

Hoje, 21 de fevereiro é o Dia Mundial da Língua Materna - uma data especial criada pela Unesco em 1999 durante a 30a Sessão da Conferência Geral da Unesco. O propósito é reconhecer as linguas e convidar o mundo a pensar a possibilidade da extinção da maioria das linguas do mundo. Abaixo nota para a imprensa da Unesco:

UNESCO comemora Dia Internacional da Língua Materna

Brasília - A metade das 6 mil línguas que se fala no mundo hoje corre o risco de desaparecer dentro de poucas gerações. Por isso a UNESCO vem trabalhando firmemente pela promoção da diversidade lingüística e pela preservação das tradições culturais, tendo lançado, em 1999, o Dia Internacional da Língua Materna (21 de fevereiro). A data será comemorada esse ano com uma conferência sobre diversidade lingüística, que será aberta pelo Diretor-Geral da Organização, Koichiro Matsuura, pelo Presidente da Conferência Geral, Musa Bin Jaafar Bin Hassan, e pelo Presidente do Conselho Executivo, Zhang Xinsheng. O Presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, e o ministro da Cultura, Gilberto Gil, também prepararam mensagens que serão divulgadas, via Internet, pela UNESCO. Em sua mensagem, Gil ressalta a importância da preservação das línguas nativas no mundo: “entre os 280 mil índios que ainda existem no Brasil, cento e sessenta e tantas línguas ainda são faladas. Nós precisamos evoluir no Brasil e em outros países para que as línguas nativas sejam ensinadas para todo o conjunto das nossas sociedades”. Mais informações no site
www.unesco.org.