Tuesday, September 26, 2006

Eu e as linguas


Minhas viagens, meu interesse pelo mundo, meu curso de comunicação social, meu curso (INCOMPLETO) de psicologia e outras atividades acontecem por causa das línguas. Da linguagem para ser mais específico. Aqui está um assunto que para mim é muito sério. Não há respostas simples. Quantas línguas você fala? Quantas línguas existem? Qual a língua mais difícil? A mais falada? A menos falada? Língua ou dialeto? Dialeto ou idioleto? Linguajar ou socioleto? E para complicar porque falamos? Como falamos? O que é a linguagem? LÍNGUA ou Linguagem? Daí descabamos para os signos, os símbolos. Toda esta matéria fantástica me interessa.

Veja esta entrevista imaginária:
– Quantas línguas você fala?
– Depende do que você acha que é língua.
– Mais chuta aí..
– Olhe eu posso dizer que é qualquer coisa entre nenhuma e 60.
– Como assim?
– É que se você não define o que é língua eu não posso responder. Nós não concordamos sobre o que é uma língua. Para mim não existe língua.
– E quantas línguas existem?
– Ah, entre uma e seis billhões.
– Como assim?
– Se uma cara extraterrestre chega no Planeta ele terá a impressão de que humanos falam com a boca, emitindo sons. Para ele, que é telepático, não importa se você fala tupi ou russo. Nesse caso só existe uma língua – a linguagem. Pelo outro lado vemos que cada um de nós temos uma maneira de falar. Cada um tem o seu idioleto. Neste caso temos mais de seis bilhões de línguas. Aposto que tem hora que você não entende o seu pai.
– É mesmo, e qual é a língua mais difícil?
– Também depende. Difícil para quem? Difícil em quê?
– Sei lá, diz aí...
– Olha o português é difícil para um chinês. Pode ser difícil para um paraguaio como é difícil para o brasileiro. Mas são três diferentes maneiras de dificuldades... e assim vai, gostou?
Este texto é antigo e o escrevi para ser uma introdução para um site pessoal que eu sonhava fazer. Como não o farei, coloco o texto aqui.

1 Comments:

At 1:47 AM, Blogger pan meli in the magic mountain said...

Gostei do texto,estou agora escrevendo um email a um amigo japones a quem ensino portugues.Gosto de lhe escrever poemas desconexos,incompreensíveis talvez...
A dificuldade do texto pra ele ou pra mim,é a mesma!
Abraços,
pamela
p.s.:estudando Chines,dificuldade e diversao se contrapondo o tempo todo.

 

Post a Comment

<< Home